A Indústria das Argilas na Região do Juncal nos Séc. XVIII e XIX

Guilherme, J., Ribeiro, S.; Tomás J.; Virgílio J.

Palavras-chave: História, Indústria, Argila, Juncal

O Juncal situa-se a oeste da Serra dos Candeeiros entre o Juncal, Cós e Cruz da Légua.(Fig.1)
As argilas tiveram grande importância na região do juncal nos séculos XVIII e XIX contribuindo para o desenvolvimento da indústria cerâmica portuguesa. Actualmente a industria associada ás argilas é o principal agente empregador, não obstante esta estar a atravessar uma crise económica, principalmente a industria de tratamento de argilas para copa e olaria.

Foi no reinado de D. José I, no âmbito das reformas Pombalinas, que se começou a desenvolver parte da indústria portuguesa. Dentro das fabricas que nasceram nesta época, a Real Fábrica do Juncal, fundada em 1770 por José Rodrigues da Silva e Sousa, que foi sem duvida, o mais importante e principal factor que contribuiu para o arranque da indústria e desenvolvimento desta região. A sua construção deveu-se principalmente, á abundância de argilas na localidade.(Figura 2 e 3)

A fábrica foi realmente bastante importante para o país mas após as revoluções francesas, em 1810, os estragos que a fabrica suportou paralisaram toda a produção.  Reestrutura, porém, logo a seguir e com maior desenvoltura de tipos para abastecer a vasta área onde a louça estava acreditada. Embora esta segunda maneira de produzir louça não seja tão apurada como a primeira, é no entanto mais brilhante, pela originalidade decorativa das suas peças. As peças apresentavam diversos motivos como, por exemplo, uma peça de fogo preso de pirotecnia, influencia de uma fabrica de material pirotécnico existente a 3Km do Juncal, na localidade da Calvaria. A fábrica encerra em 1876. (Fig.4, 5, 6, 7 e 8).

De facto, as argilas demonstraram grande valor para o aparecimento de muitas fabricas do Juncal durante o século XVIII e XIX e as fabricas de cerâmica estrutural durante o século XX , nomeadamente devido à Fábrica J. Coelho da Silva, que ainda hoje é uma das mais prestigiadas do país, que foram alguns dos mais importantes pilares para o crescimento da população, da economia e da cultura do distrito de Leiria.

The Clay Industry in the Region of Juncal in the eighteenth and nineteenth century

Keywords: History, Industry, Clay, Juncal

The Juncal is located west of the Serra dos Candeeiros between Cós and Cruz da Légua. (Fig.1) The clays were of great importance in the region of Juncal in the eighteenth and nineteenth centuries. They contributed to the development of Portuguese ceramics industry.  Actually, industry that are associated clays is the main employer agent, although this be going through an economic crisis, especially the industry of treatment for eating clay and pottery.

It was the reign of king D. José I, under the reforms of Marquês Pombal, who began to develop part of the Portuguese industry. Within the factories that were born at this time, the Royal Factory of Juncal, founded in 1770 by José Rodrigues da Silva e Sousa, who was undoubtedly the most important and primary factor contributing to the start of the industry and development of this region. Its construction was due mostly to the abundance of clay in the locality. (Figure 2 and 3)

The factory was really important for the country but after the French revolution in 1810, the damage that manufactures supported paralyzed the entire production. However restructuring, immediately after and with more ease of types to power the vast area where the dishes was accredited. Although this second way to produce washer is not as accurate as the first, is however brighter, the originality of the decorative parts. The pieces had different reasons, such as, a piece of fireworks, pyrotechnics, the influence of an existing factory of fireworks 3Km of Juncal, the location of the Calvaria. The factory closed in 1876. (Fig.4, 5, 6, 7 and 8).

In fact, the clays have shown great value for the appearance of many factories do Juncal during the eighteenth and nineteenth century and the structural ceramic factories during the twentieth century, namely due to Factory J. Coelho da Silva, who is still one of the most prestigious in the country, which were some of the most important pillars for the growth of population, economy and culture of the district of Leiria.


Fig. 1 – Location of the district of Leiria
Fig. 2/3 – Exploitation of clay in Juncal
Fig. 4 – Panel of Tiles of the church of Juncal
Fig. 5 – Floor tiles of the church of Juncal
Fig. 6 – Spitton
Fig. 7 – Teapot
Fig. 8 – Cruets

Bibliografia:
Martins, M. F. S., Azulejos do Juncal, Editorial Presença, 17-20pp.
Sampaio J.P., A Faiança da Real Fabrica do Juncal, editora:Estar, 28-32pp.
Cacela, M. A., (1977). Porto de Mós e seu tempo. 169pp, Torres Novas.
Furriel, F. J., (1996) Da Pré-História à Actualidade, monografia de Porto de Mós volume II. Câmara Municipal de Porto de Mós, 292-293PP.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: