Diatomácias, da Biologia à Geologia

Loureiro, M.M.; Pereira, H.R.T.; Silva, D.C.A

Palavras-chave: Diatomáceas; Biodiversidade; Protista; Diatomitos; Rocha sedimentar biogénica.

Neste trabalho pretende-se conhecer a importância das diatomáceas, as suas características e a sua função como constituintes do fitoplâncton, encontrando-se na base de muitas cadeias alimentares aquáticas. Por outro lado, pretende-se estabelecer uma relação entre uma grande aglomeração dos restos destes organismos e as rochas daí resultantes (diatomitos). Devido a toda a sua intervenção em variados ecossistemas e processos de formação de rochas, o seu estudo permite estabelecer uma ponte entre a Biologia e a Geologia, nomeadamente ao nível dos conteúdos abordados no 10.º ano de escolaridade, respectivamente, biodiversidade na Biosfera e as rochas, arquivos que relatam a história da Terra.

As diatomáceas pertencem ao Reino Protista. São organismos unicelulares eucarióticos, e possuem, como principal característica, uma carapaça ou parede silicosa chamada frústula, localizada externamente à membrana plasmática. Podem encontrar-se nos oceanos, em água doce, no solo e em superfícies húmidas. Existem algumas espécies que formam cadeias ou colónias simples. Estes organismos são o principal componente do fitoplâncton marinho e tornaram-se abundantes no registo fóssil durante o Cretácico.

As Diatomáceas dividem-se em duas subclasses: cêntricas, se as suas valvas forem circulares, de simetria radial, e pinuladas se apresentarem valvas alongadas e simetria bilateral. Nos dois casos a frústula é profundamente ornamentada e os padrões são em geral diagnosticantes das espécies.

Em termos de geológicos, o diatomito resulta da acumulação de diatomáceas. As condições ambientais para que se tenham fixado as colónias de diatomáceas envolveram águas frias, claras e leves, abundância de nutrientes e de sílica solúvel e alguma quantidade de materiais clásticos sedimentares. A maior parte dos depósitos mundiais é de origem lacustre, embora os de maiores dimensões sejam de origem marinha.

Os depósitos recebem o nome de terra de diatomáceas ou diatomitos. O diatomito é assim uma rocha sedimentar biogénica siliciosa, muito fina, constituída essencialmente por restos microscópicos das carapaças de diatomáceas. Os diatomitos são usados industrialmente para a fabricação de filtros de líquidos nas refinarias de açúcar, como isolantes térmicos, abrasivos e na confecção de certos cosméticos e pastas de dentes.

As diatomáceas são talvez o grupo de organismos eucarióticos que mais contribui para a produtividade primária dos ecossistemas aquáticos. Embora ocorram unicamente como células isoladas, em cadeias de células ou em colónias, as diatomáceas apresentam uma enorme diversidade sendo reconhecidas mais de 10 000 espécies diferentes, agrupadas em 285 géneros.

A metodologia do trabalho incluiu a observação microscópica de diatomáceas retiradas de águas de ambientes lacustres, de modo distinguir aspectos básicos da sua estrutura. As suas reduzidas dimensões dificultaram a observação, mas tornou-se curioso perceber que, sendo o silício um dos elementos mais abundantes na crusta terrestre, estes organismos o utilizem para produzir a sua carapaça (frústula).

Por outro lado, a grande aglomeração de carapaças siliciosas, em ambientes sedimentares, possibilitou a formação do diatomito, um recurso geológico que deverá ter uma exploração sustentada.

Bibliografia:

http://www.infoescola.com/biologia/divisao-bacillariophyta-diatomaceas/ (disponível em 27de Fevereiro de 2009).
http://www.ceb.uminho.pt/bii/MM.pdf (disponível em 27de Fevereiro de 2009).
http://www-personal.fc.ul.pt/~maloucao/Diatomaceas.pdf (disponível em 27 de Fevereiro de 2009).

Anúncios
Comments
6 Responses to “Diatomácias, da Biologia à Geologia”
  1. Bárbara diz:

    queria saber se ta certo o que eu entendi;

    O que são diatomitos?
    São restos de diatomáceas.

    Onde são formados?
    No mar ou em superfpicies umidas.

    eu só não entendi a parte “silicosa”.
    Gostaria de uma resposta amanha vou fazer uma prova e eu ñ to entendendo muito bem. até

    • Correcto, diatomitos são rochas formadas por restos de diatomáceas. São formadas em ambientes aquáticos marinhos ou lacustres (lagos).
      O revestimento dos seres vivos é silicosa ou seja tem um revestimento rico em sílica.

  2. Ana paula diz:

    oii,gostaria de saber como se formam as carapaças das diatomáceas,se elas segragam a silica,ou se pegam do meio?

  3. maria da penha diz:

    Como o diatomito se forma????

    • leticia diz:

      após a morte da diatomácea… essa carapaça dela de sílica hidratada afunda.. e fica no fundo do ambiente.. formando então o diatomito..

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: