O cimento conta a sua história

Malhado, A.; Cardoso, J. P.; Sant’Ana, A. S.; Silva, P. J.; Sousa, P. M.

Partindo da temática abordada sobre a exploração sustentada dos recursos geológicos, o trabalho visa, por um lado, aprofundar conhecimentos sobre a matéria-prima e os processos utilizados no fabrico do cimento, e, por outro, analisar a importância dessa indústria no contexto sócio-económico da região e o respectivo impacte ambiental associado. Realizou-se uma visita de estudo à cimenteira CIBRA-Pataias, no concelho de Alcobaça, a qual serviu como ponto de partida para uma melhor compreensão de todo o processo inerente à produção do cimento, permitido o registo fotográfico das suas principais etapas de produção.

A indústria cimenteira em estudo (figura 2), decidida a tirar partido das vantagens naturais da região, cuja pedra e areias apresentam a qualidade necessária ao fabrico de cimento branco, instalou-se a 22 km de Leiria, em 1944. É a única fábrica de cimento em Portugal que integra a produção de cimento branco (figura 3), fabricando também cimento cinzento, tendo uma capacidade anual de produção dosdois tipos de cimento que ronda as 450 000 toneladas. O processo de fabrico de cimento é feito através da exploração de matérias-primas de uma pedreira (figura 1), nomeadamente, rochas sedimentares como calcários e margas, entre outros materiais. A rocha é extraída da pedreira pretendendo-se obter blocos com dimensão inferior a 0,5 m3, que passam por um britador até o material apresentar uma dimensão inferior a 9 cm3, sendo posteriormente moído. Após a moagem a cru, o material sofre uma operação de cozedura, calcinação a 1500ºC para a produção de cimento branco e 1250-1300ºC para a produção de cimento cinzento. A partir da cozedura, por um processo de cinterização (reacções mineralógicas que transformam o material) obtém-se um produto granulado denominado clínquer (figura 4). Esse material será reduzido a pó, tratando-se de uma mistura de calcário (75 a 80%), argila (20 a 25%) e de elementos como o silício, alumínio e ferro. Ao clínquer em pó é adicionado gesso, para que não endureça e aditivos, consoante a classe de cimento a ser produzida.O cimento constitui um material artificial, que endurece por acção da água, e permite adquirir formas e volumes, de acordo com as necessidades de cada obra. Torna-se fundamental para a construção civil e para grandes obras de engenharia como pontes e barragens. No entanto, o seu processo de fabrico comporta impactes no ambiente que têm de ser minimizados, de modo a que a interferência na dinâmica dos ecossistemas seja a menor possível, o que implica medidas adequadas de requalificação ambiental. A cimenteira visitada tem efectuado a recuperação paisagística das pedreiras e integra um projecto que visa o conhecimento e conservação da biodiversidade.

Bibliografia:

http://maps.google.com/?ie=UTF8&ll=39.656258,-8.996344&spn=0.024978,0.036306&t=h&z=15, disponível em 25 de Fevereiro de 2011.
http://www.secil.pt/default.asp?pag=pataias, disponível em 25 de Fevereiro de 2011.
http://www.google.pt/urlsa=t&source=web&cd=1&ved=0CBcQFjAA&url=http%3A%2F%2Fusers.isr.ist.utl.pt%2F~pjcro%2Fcadeiras%2Fapi0708%2Fdocs%2Fseminarios%2FCMP%2520%2520Cimentos%2520Maceira%2520e%2520Patais.pdf&rct=j&q=%20%20Armazenamento%20de%20Cli%CC%81nquer%2C%20Gesso%20e%20Aditivos%20(Calca%CC%81rio%20Moi%CC%81do%2C%20etc.)&ei=bfF7TfHOGYfMhAem_rSRDA&usg=AFQjCNE9hXOAsuJlWfEyNNGL8aKM08XCA&cad=rja, disponível em 25 de Fevereiro de 2011

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: