Património Paleontológico da Mina da Guimarota

Guilherme, J.; Nascimento, P. ; Lourenço, P.

Ao sermos confrontados com o nosso património geológico, apercebemo-nos que a população apresenta uma indiferença generalizada no que toca a jazidas potencialmente importantes a nível mundial. Deste modo, decidimos apresentar um trabalho que evidencie a importância de uma jazida paleontológica em particular, e que tente despertar o interesse das pessoas no nosso património geológico, que é muito rico, apesar de pouco divulgado. Para este efeito decidimos estudar a mina da Guimarota (Fig.4). Esta mina situa-se perto da cidade de Leiria (Fig.1) e, antes da descoberta de fósseis, ocorreu a extracção de lenhite. De facto, nesta antiga exploração de carvão encontra-se encerrada nas suas camadas carbonáceas uma das mais importantes faunas de mamíferos mesozóicos a nível mundial.

Há 150 milhões de anos, no período do Jurássico Superior (Fig.2), os sedimentos que ocorrem na Guimarota, segundo alguns autores, formaram-se num pântano costeiro, onde entraria pontualmente água salgada. Este pântano era provavelmente evitado pelos dinossauros de grandes dimensões devido ao chão lamacento, o que permitiu a sobrevivência de pequenos mamíferos antepassados de toupeiras e musaranhos.

Depois do fecho desta mina de lenhite, e até 1982, foram extraídos por paleontólogos alemães, da Universidade Livre de Berlim, milhares de fósseis que permitiram a construção do paleoambiente e também estudar o conteúdo fossilífero, que inclui restos de plantas (macrorrestos, pólenes e carófitas), lamelibrânquios, gastrópodes, peixes, répteis, dinossauros, pterossauros, aves (próximas de Archaeopterix) e mamíferos ancestrais. Estes mamíferos incluem exemplares correspondentes a quatro ordens (Docodonta, Multituberculata, Dryolestida e Zatheria), dos quais ocorrem ossos, por vezes dando esqueletos completos incluindo crânios e peças bocais, e inúmeros dentes.

Foi nesta mina que foi encontrado o primeiro esqueleto completo de um mamífero do Jurássico. Os mais “famosos” mamíferos encontrados aqui são o Henkelotherium guimarotae (Fig.3 e 5), descoberto em 1976. É o esqueleto mais completo deste ser vivo, e serviu para o descrever. Era um mamífero insectívoro, do grupo dos Paurotodínios, que habitava nas árvores. Outro mamífero encontrado é o Haldanodon exspectatus, sendo o primeiro Docodonte descoberto a nível mundial. Este mamífero apresentava características diferentes do anterior, sendo um ser vivo com um estilo de vida semelhante ao das actuais toupeiras.

Devido à importância dos achados paleontológicos, com valor científico e cultural mundial, e valor educacional e económico para a região, é importante que a mina seja musealizada, de modo a ser protegida de agressões ambientais e antrópicas de que tem sido alvo nos últimos anos, bem como constituir um polo de divulgação científica à escala regional e nacional.

Bibliografia:
Martin, Thomas & Bernard Krebs. (2000). Guimarota – A Jurassic Ecossystem
http://geoleiria.blogspot.com/
http://geopedrados.blogspot.com/2011/08/nos-os-mamiferos-placentariossomos.
http: /geoleiria.blogspot.com/2007_09_01_archive.html
http://www.publico.pt/Ci%C3%AAncias/fosseis-de-mamiferos-primitivosregressaram-para-os-portugueses-1295510

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: